• Norwegian Wood

    “(…) nenhuma verdade, seja ela qual for, é capaz de curar a dor causada pela perda do ser amado. Nenhuma verdade, sinceridade, força ou bondade pode curar a tristeza. Tudo que podemos fazer é superar essa tristeza e aprender alguma coisa com ela, mas isso de nada adianta para enfrentar a tristeza seguinte que nos atinge sem aviso.”
    Norwegian Wood é um livro de autoria do aclamado escritor japonês Haruki Murakami. Lançado em 1987, é uma das primeiras obras literárias do autor que, desde cedo, alcançou muito sucesso dentro do Japão. O título Norwegian Wood é inspirado na canção dos Beatles e é mencionado no livro como uma das músicas favoritas da protagonista Naoko. E assim como na canção da banda inglesa, o livro nos conta uma história de amor complicada e triste.

    Diferente das demais obras do autor, caracterizadas pelo realismo fantástico, Norwegian Wood está ambientado na realidade, deixando um pouco de lado os traços de fantasia. Contudo, a marca principal de Haruki Murakami está presente no livro: a solidão dos personagens e as reflexões decorrentes dela.

    O livro é um relato do protagonista Toru Watanabe, já com 37 anos de idade. Ele relembra a época na qual tinha 19 anos e se envolveu num romance com Naoko, ex namorada do seu melhor amigo que cometeu suicídio. Naoko é uma garota bonita que conversa pouco. A morte do namorado deixou uma ferida interna incapaz de ser curada com o tempo, e por isso a garota vive com problemas emocionais

    O cenário é o Japão dos anos 60, época em que o mundo e a juventude clamava por mudanças sociais e políticas. Nesse contexto libertário e de manifestações, Toru Watanabe segue sua vida solitária num alojamento estudantil enquanto cursa Teatro na faculdade. Após a morte do seu melhor amigo, ele decidiu mudar de sua cidade natal Kobe para iniciar uma vida nova em Tóquio.

    Contudo, o reencontro com Naoko despertou nele uma atração emocional na qual o próprio Toru não consegue explicar bem. A paixão de Toru torna-se um amor à distância, pois Naoko abandona a faculdade de Tóquio e é afastada para uma clínica especial para tratar seus problemas psicológicos.

    No decorrer da história, conhecemos a extrovertida Midori, uma colega de classe de Toru que, diferente de Naoko, gosta de se expressar bastante e fala abertamente sobre vários assuntos: desde coisas do dia a dia até seus íntimos desejos sexuais. Ela tem um namorado que a repreende o tempo todo por fumar, ficar bêbada, falar coisas sujas e etc. Midori perdeu a mãe e a convivência com o pai é também complicada. Ela tem uma irmã mais velha que só está preocupada em arrumar o casório com seu noivo. As duas são responsáveis por manter a casa e uma livraria, que é empreendimento da família. Midori se simpatiza com Toru e no decorrer da história forma-se um triângulo amoroso. Porém Toru não assume compromisso com Midori pois está apaixonado por Naoko.

    Toru também conhece Nagasawa, um rapaz inteligente e rico que mora no mesmo alojamento estudantil que Toru. Segundo ele, já dormiu com mais de 70 mulheres diferentes, tornando-o um mulherengo assumido. Ele mantém um relacionamento firme com Hatsumi desde que entrou na universidade e ela sabe de suas aventuras/traições amorosas. Porém Hatsumi diz amar de verdade Nagasawa. Toru confessa que só dormiu com uma única garota, sua ex namorada, e Nagasawa dá um jeito de mudar isso. Apesar de seu coração ser de Naoko, Toru aceita as aventuras sexuais que lhe são oferecidas mas não demora muito para se cansar disso e ser invadido por um sentimento de inutilidade.

    O relato de Toru mostra como a transição da adolescência para a vida adulta pode ser confusa, complicada e triste. Apesar de esforçar-se para ajudar Naoko, Toru não sabe bem se será correspondido ou não. A atração que sente por ela o faz sofrer, criar expectativas, e cegá-lo para outras oportunidades amorosas. Ele deseja muito que a garota volte a sorrir e possam um dia estar juntos. Porém Naoko permanece fechada no seu mundo interno e mesmo o amor de Toru não parece ser suficiente para salvá-la.

    Eu diria que é uma leitura agradável porém angustiante. A sensação é de que a vida está passando e estamos perdidos nela. Um rumo obscuro, sem certezas e sem destino certo. A tristeza e a solidão perseguem o protagonista, que busca sempre de alguma forma renovar sua vida e ter motivações para continuar em frente. Apesar do sofrimento, Toru revela ser uma pessoa otimista e forte.

    O livro é essencialmente sobre morte e solidão. O sofrimento do personagem é algo que, de alguma forma, leva ao amadurecimento. Enquanto os mortos permanecerão sempre com a mesma idade e do mesmo jeito, os vivos têm de enfrentar as dificuldades que a vida traz.

    Recomendo a leitura, porém acredito que não vá agradar a muitos. Eu pessoalmente gostei, mas ainda prefiro Kafka à Beira-Mar. Foi lançado um filme em 2013, porém não recomendo de jeito nenhum (sim, foi uma adaptação ruim).

  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

Akahon 2010 - 2016. Tecnologia do Blogger.