• 1Q84 - Livro 1

    Créditos da Imagem: http://www.margafdonaire.com/

    1Q84 é uma trilogia de autoria do escritor japonês Haruki Murakami, lançada no período entre 2009 e 2010. Esta é a obra mais vendida e de maior sucesso do autor, dentro e fora do Japão.

    O título 1Q84 é uma referência à distopia 1984, do autor George Orwell, porém o significado na história de Haruki Murakami é outro. O ano de 1984 é o período no qual a história se passa, e o termo 1Q84 surge no primeiro livro, batizado pela protagonista Aomame, para contrapor o mundo no qual ela era habituada a viver. 1Q84 é uma realidade nova: pairam no céu duas luas, acontecimentos estranhos ocorrem, e alguns detalhes do passado são diferentes do ano “original” de 1984. Não se sabe exatamente o momento que a personagem Aomame é “transportada” para 1Q84. Ela só entende que os fatos mudaram e precisa se ambientar nesse mundo.

    Aomame é uma mulher independente de 30 anos que trabalha como instrutora de artes marciais. Sua vida poderia ser considerada “comum” a não ser por um detalhe: ela também é uma assassina contratada secretamente por uma velha senhora. O alvo são homens que cometem atos de violência – física, emocional e sexual – em suas parceiras e até em crianças. Atos que são cometidos todos os dias e permanecem impunes.

    Aomame nunca sofreu tal tipo de agressão e não age por vingança. Este é um caminho que ela escolheu baseado na experiência de sua melhor amiga Tamaki que se casou e, após inúmeros atos de violência do marido, se suicidou. A própria Aomame sabe que é um tipo de trabalho sem fim, porém alguém deve fazê-lo.

    De forma muito sutil, e graças ao seu olhar atento e a boa memória, Aomame percebe que há algo de diferente. A polícia mudou de uniforme e de arma, um fato que não passaria despercebido facilmente, até porque a causa disso foi um conflito no passado com um grupo religioso, acontecimento do qual Aomame não se recorda. A situação fica ainda mais estranha quando ela verifica que o céu, agora, abriga duas luas.

    Sua missão se torna ainda mais desafiadora: ela precisa matar um líder religioso que, supostamente, estupra garotas de 10 anos que ainda não menstruaram.

    Do outro lado temos o protagonista Tengo, um escritor de 30 anos que leciona matemática num cursinho preparatório. Sua rotina se baseia em dar aula, escrever seu romance e encontrar uma vez por semana sua namorada mais velha e casada. As coisas ficam complicadas após Tengo receber uma proposta de seu chefe chamado Komatsu.

    Komatsu quer burlar as regras de um concurso literário e convencer Tengo a reescrever secretamente a história de uma garota de 17 anos chamada Fukaeri. Intitulada de Crisálida de Ar, a história de Fukaeri é cativante e enigmática, porém, do ponto de vista gramatical e técnico, ela contém muitos erros e precisa ser reescrita para conseguir competir ao prêmio. Tengo reconhece o potencial da história mas fica desconfortável com a ideia de enganar a todos e cometer uma fraude.

    Além disso, Crisálida de Ar é um romance que Fukaeri afirma ter acontecido de verdade. Nele, pairam no céu duas luas e nesse mundo vive o Povo Pequenino. O que Tengo não podia imaginar é que tais informações do livro seriam “sigilosas” e baseadas na convivência que a garota teve na infância dentro de um grupo religioso misterioso.

    Após terminar de ler o primeiro livro da trilogia 1Q84 fiquei bastante curiosa para saber o que iria acontecer. Senti que a trama estava no início e sem muitas revelações. Na verdade, as coisas só começaram a ficar complicadas para Aomame e Tengo. Afinal, quem é o Povo Pequenino e o que eles querem? Que mundo é esse de 1Q84 e qual a relação dele com a Crisálida de Ar?

    A história é interessante, está voltada para o mistério dos acontecimentos, diferente de Kafka à Beira Mar e Norwegian Wood que são obras mais densas de reflexões internas. A narrativa de Aomame e Tengo ocorrem em paralelo, mas os dois guardam uma proximidade no contexto que estão inseridos. Além disso, Tengo e Aomame já foram alunos da mesma classe quando tinham 10 anos de idade.

    Como nas obras anteriores, Haruki Murakami preenche a história com várias referências históricas, literárias e musicais. O mundo de 1Q84 é real e uma fantasia ao mesmo tempo. A religião aqui é um elemento importante na narrativa: encontramos as testemunhas de jeová e um grupo discreto que vive nas montanhas chamado de Sakigake. Aparentemente, toda a trama está por trás das intenções desse grupo com a publicação de Crisálida de Ar.

    É difícil mencionar tudo o que autor expõe no livro. Achei interessante o modo realista que ele descreve a violência simbólica que as mulheres sofrem, seja no ambiente escolar, familiar ou profissional. Por exemplo, temos o relato de uma policial chamada Ayumi que, apesar de ser a melhor atiradora e possuir mais conhecimento que seus colegas de trabalho, ela é designada para fazer trabalhos burocráticos. Afinal, ela é mulher e num ambiente predominantemente masculino seu potencial não é reconhecido.

    Enfim, gostei bastante de 1Q84 e acredito ter uma opinião melhor quando terminar de ler os outros dois livros. É uma leitura que sem sombras de dúvidas eu recomendo.
  • You might also like

    2 comentários:

    1. O livro que me introduziu a Murakami e até hoje meu favorito. Li-o em formato ebook, e mal acreditei que tinha 1000 e poucas páginas quando conferi na ficha. A narrativa é tão envolvente que nem senti o tempo passar: quando dei por mim, já o havia terminado.

      Se 1Q84 te animou, talvez você também curta A Crônica do Pássaro de Corda (se ainda não o tiver lido, claro). É um romance anterior, mas que compartilha vários temas, a vibe de mistério e mesmo uma personagem em comum.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Vinicius, obrigada pela visita! Realmente, Murakami consegue nos prender em poucas páginas! Ontem não desgrudei do segundo livro. A primeira obra que li foi Kafka à Beira Mar (um excelente livro também)e desde então tornou-se meu autor favorito. Ainda não li A Crônica do Pássaro de Corda, com certeza vou conferir essa sugestão.

        Excluir

Akahon 2010 - 2016. Tecnologia do Blogger.